Tire suas dúvidas!

Todos os ingredientes utilizados pela Cozinha Canina são de alta qualidade, sendo selecionados carnes certificadas e vegetais frescos, todos aprovados para o consumo humano.

São adicionadas às receitas, vitaminas e minerais para garantir o atendimento às necessidades diárias de nutrição dos cães.

Nossas receitas são preparadas cozinhando todos os ingredientes à vapor a fim de preservar o máximo valor nutricional e o cão possa se beneficiar de uma alimentação saudável.

Os alimentos são embalados utilizando a tecnologia à vácuo e o armazenamento é refrigerado para proteger o produto e preservar a qualidade durante sua vida útil.

Nós cozinhamos nossas comidas caseiras para cães em pequenas quantidades para garantir o nosso compromisso com o controle de qualidade na produção e nos processos de estocagem dos ingredientes e dos produtos acabados.

Por ser um alimento úmido, o organismo do cão processa melhor o alimento. O processo de cocção (extrusão a vapor, pressão e umidade) faz com que o amido dos ingredientes se torne passível de digestão e absorção intestinal. Soma-se a essas medidas, a correta formulação dos ingredientes para buscar quantidades e proporções adequadas de nutrientes para os cães.

A nossa dieta canina vem com indicação da dose diária de alimento balanceado, respeitando recomendações da AAFCO (American Association Feed Control Officials) para o peso ideal do seu cão, garantindo assim aporte ideal de energia metabolizável diária.

A nossa dieta canina possui formulação balanceada com fatores nutritivos que melhoram a qualidade da pele, tais como ácidos graxos, vitamina A, H, pantotenato de cálcio, zinco. Não utiliza ingredientes que promovam alergias como, por exemplo, grão de bico, farelo de soja, carne de suínos e derivados, frutos do mar, lentilha entre outros.

Estudos apontam que 70% dos problemas dermatológicos são causados pela má alimentação, por isso com uma comida de qualidade, as modificações são facilmente observadas.

As receitas da Cozinha Canina possuem elevado teor de umidade, ou seja, levam os cães a ingerirem quantidades maiores de água junto com o próprio alimento, garantindo uma diurese saudável para depuração das vias urinárias.

O tártaro constitui uma das etapas de uma doença grave, chamada de Doença Periodontal, que na fase final, é responsável pela fragilidade e até queda prematura dos dentes. Ao longo do tempo, as bactérias da cavidade oral combinam-se com a saliva formando na superfície dos dentes um “biofilme” bacteriano muito resistente, chamado de placa dentária, dando origem a uma coloração amarelo esverdeada dos dentes. A sua formação é muito rápida, em menos de 6 horas após a alimentação, esse acúmulo gera uma gengivite (inflamação da gengiva) e halitose (mau hálito). A placa dentária é mineralizada pela fixação do cálcio presente na saliva, transformando-se assim em tártaro. O tártaro é responsável pela aparência rugosa e textura áspera no dente. As doenças periodontais podem estar relacionadas ao tipo de alimentação dos cães.

Por sua alta digestibilidade, os produtos da Cozinha Canina são digeridos em alta proporção, produzindo um volume de fezes menor e com consistência mais adequada, além da diminuição de gases e de seus efeitos.

O glúten é uma proteína do trigo de baixa digestão com poder agregante (cola de farinha de trigo) que pode determinar alergia alimentares como irritação do cólon, promovendo diarreias severas.

O leite de origem animal é rico em lactose e esse açúcar não é bem digerido pelos cães favorecendo o descontrole da flora intestinal gerando fezes moles e gazes.

A introdução de transgênicos na natureza expõe nossa biodiversidade a sérios riscos, como a perda ou alteração do patrimônio genético de nossas plantas e sementes e o aumento no uso de agrotóxicos. Deve-se ressaltar que não há estudos suficientes sobre os riscos que os transgênicos oferecem ao meio ambiente. Em várias partes do mundo, pesquisadores alertam para o perigo que representa a introdução de uma espécie transgênica, pois o gene modificado pode se propagar sem controle, trazendo alterações imprevisíveis em um ecossistema.

A maioria das rações tradicionais utilizam ingredientes sintéticos tais como antioxidantes (etoxiquim, BHT, BHA entre tantos), colorantes, palatabilizantes, edulcorantes, antifúngicos, que podem trazer uma série de malefícios para os cães tais como: aumento de tumores, doenças renais, doenças hepáticas, pancreatites. A dieta da Cozinha Canina, por ser elaborada com ingredientes frescos, de alta qualidade e de sabor que os cães apreciam, não possuem aditivos sintéticos.

Embora as grandes empresas de rações não admitam, a farinha de vísceras não é o melhor ingrediente a ser utilizado no alimento para cães, pois contém para sua conservação antioxidantes sintéticos e altos níveis de sal, que podem causar, a longo prazo, dano a saúde canina.